xSplash
   
     

Associados
Cursos e Treinamentos
Galeria de Eventos
Histórico de Gestão
 Institucional
Diretoria
Estatuto
Regimento Interno
Missão
Mural de Eventos
Observatório Social
Palavra do Presidente
Programa Empreender
Serviços
Galeria de Vídeos
 
Newsletter
 
 
Previsão do tempo
 
 Notícias

CAMPANHA SINAL VERMELHO CONTRA A VIOLÊNCIA DOMÉSTICA


A campanha "Sinal vermelho contra
a violência doméstica", é uma iniciativa do Conselho Nacional de Justiça (CNJ)
e ganhou o apoio hoje (14), da ACIA, SIVANA e Câmara da Mulher.

O tema foi trazido pela Secretaria
para Assuntos da Mulher de Apucarana e tem por objetivo ser mais um instrumento
no combate a violência doméstica e familiar contra as pessoas do sexo feminino.

A secretária da Mulher de
Apucarana, Denise Canesin, explica que esta campanha terá como ponto de apoio
as drogarias e farmácias. "As mulheres podem avisar os atendentes ou
farmacêuticos que estão sofrendo alguma violência ou abuso, mostrando em sua
mão um X Vermelho. Os profissionais irão entrar em contato com a polícia para
ajudar na situação", diz Denise.

O Major Vilson Silva, do 10º BPM
de Apucarana, ressalta que nesta época de pandemia houve um aumento de 78% nos
casos de violência contra a Mulher. "Esta é uma campanha importante para ajudar
a combater este mal. Vamos trabalhar junto ao comércio e, em especifico com as
Farmácias, orientando a ligar para o 190 e avisar sobre casos que lá forem
denunciados", frisa o Major.

A Delegada da Mulher de
Apucarana, Sandra Nepomuceno, reforça que as Farmácias que aderirem a esta
campanha não terão obrigação de servir como testemunhas, após a denúncia.  "Elas terão um papel vital, onde serão mais
um canal para chegar as denúncias de abuso, porém, estão isentas de acompanhar
os tramites processuais", diz Dra. Sandra.

O presidente da ACIA, Jayme
Leonel, diz que a entidade irá ajudar na divulgação desta campanha nacional.
"Iremos falar com as farmácias associadas para aderirem a esta campanha tão
importante pela vida", destaca Leonel.

A presidente do Sivana, Aida
Assunção, fala que as drogarias e farmácias que aderirem a campanha terão
acesso a cartilha e tutorial para capacitação dos funcionários, que estarão
aptos para acolher a vítima e se tornar um meio para o registro da denúncia. "A
mulher que sofre violência tem medo e dificuldade de denunciar. O ambiente das
farmácias pode ajudar a dar a elas uma sensação de segurança. Agradecemos as
farmácias que estiveram presentes e já estão preparadas para fazer este
atendimento: Rede de Farmácias Marx Farma, Droga Raia, Farmácias Vale Verde e
Farmácias Nissei", finaliza Aída.


Veja também
 
Cotações
ggf
gf
Associações Links Rápidos
Parceiros